Archive for Julho, 2012

Sobre o tempo e a hora de acordar.

Lembro de um comercial de TV que dizia: “você passa um terço da sua vida dormindo; então que seja num bom colchão.” Sabe, eu acho que a gente passa muito mais do que isso dormindo, na verdade. Mesmo que não seja na cama, nem cochilando no ônibus, nem no intervalo pro almoço no trabalho, nem nada. É dormindo acordado. “Zumbizando” na vida, esquecendo do que é importante. Quanto tempo será que a gente passa olhando a tela do Facebook subir, subir, sem apreender nada, sem pensar, quantas horas? Sejamos sinceros. Quanto tempo no twitter, no messenger. Quanto tempo fingindo que tá trabalhando, quando na verdade estamos pensando no final do expediente, quando poderíamos fazer e acontecer, e este chega e a gente continua dormindo? Eu sei lá porque pensei isso agora à noite. Acho que foi porque estava inspirada pelo segundo assunto que vem logo abaixo, liguei o computador pra escrever, e vi as pessoas “dormindo” no Facebook. Minha ideia era outra pro blog, que aliás, anda bem adormecido, mea culpa. Minha ideia era imaginar de quantas memórias se faz uma história de amor. É que eu acabei de assistir, pela não-sei-quantésima vez, o filme “Como se fosse a primeira vez”, onde a garota tem um problema de memória ocorrido depois de um acidente, e a partir disso, sua memória dura apenas 24 horas. Ela não lembra do que fez ou de quem conheceu no dia anterior. E o carinha tem que conquistá-la todos os dias, porque é apaixonado por ela, e para ela, toda vez que o vê, é como se fosse a primeira vez.

E aí eu fiquei pensando sobre isso, porque de fato ela acaba se apaixonando por ele todos os dias, e ele encara com dedicação total a tarefa de conquistá-la todos os dias. O filme já virou um clichê das reflexões. Mas eu sempre me pego pensando no final dele. E hoje minha viagem foi sobre os detalhes das histórias de amor. “Ela sorri e aperta os olhos, é lindo”, “ele fala de um jeito doce que me encanta”, “ele finge que vive num programa de TV e fala coisas sobre mim com uma câmera invisível”, “ela sempre reclama quando chego em casa e não dou um beijo, e aí eu dou”. Sabe esses pequenos detalhes? Coisas de todo casal, que fazem aquela relação diferente das outras, única? Quantos pequenos detalhes desses fazem uma história? Um relação de um dia? De anos? Será que a gente percebe? Ou será que as distrações do dia a dia nos fazem perder o melhor? E aí percebi que os dois assuntos que decidi colocar no blog hoje se ligam exatamente aí. São tantos apelos por minuto, no Facebook, na televisão, na propaganda, no compre isso e aquilo, que as pessoas deixam o essencial passar em branco. Que grande bobagem. Perdem de viver o melhor. De se dedicar ao que preenche a alma. Não ao que satisfaz momentaneamente, mas ao que constrói alguma coisa dentro de si. O que te preenche? Meditar? Entrar em contato com a natureza? Ler? Conversar com pessoas importantes pra você? Olhar nos olhos do seu amor e ficar em silêncio, fazendo carinho? Ouvir música? Estar presente na vida da sua família, que você negligencia todo dia, porque está ocupado demais com o que te adormece?

Acordemos. A grande realidade, a única imutável, é que o tempo passa mais rápido do que a gente pensa, e é justamente essa realidade que a gente insiste em ignorar. Tudo muda, as relações mudam, as pessoas seguem a vida, as histórias se sobrepõem, o tempo não nos espera. A gente costuma pensar que um dia da semana tem que funcionar no automático: acorda, segue sua rotina de todo dia, dorme. Quando certamente há espaço nesse intervalo pra fazer algo que te faça sentir vivo, e não um robô. Qualquer coisa. Se não der pra dar uma caminhada ouvindo uma música que te agrade, dance, se não der, cante na hora do banho, se não der, faça uma comida diferente, experiente algo que nunca fez, se não der, escreva uma música, se não der, tire três minutos à noite pra ouvir uma música, e relaxar seu corpo e sua cabeça, e se der, privilegiado, vá à praia! Mas tente sair dessa prisão do sono eterno que te emburrece, diminui, anestesia, e te rouba todos os dias. E passe a prestar mais atenção ao seu lado. Quem vive com você, nem que seja só você mesmo. Planeje algo grande, ou pequeno, mas faça. Acorde, e bom dia.

(Caso você queira a tradução da música, clique aqui.)

Anúncios