Sobre o espelho que quero ser

Eu faço qualquer coisa pra que o sorriso dela não se desfaça. Ou se transforme em tristeza, ou pior, e muito por, em medo. Frustração às vezes tem, faz parte da vida, que não nos dá tudo. Mas tristeza não. Medo, por favor, não. 

Às vezes eu finjo. Às vezes eu só quero chorar e ficar sentada num canto, sozinha, a testa nos joelhos, chorando. Às vezes eu quero tomar banho pra chorar lá dentro, porque chorar na chuva ou no chuveiro é uma boa estratégia. Ninguém precisa saber se a gente não quiser que ninguém saiba. Porque às vezes somos tomadas por tristezas também. O mundo é duro. Há tristeza no mundo suficiente pra cada um dos sete bilhões de seres humanos. A tarefa é árdua. A responsabilidade é grande. E eu sou só uma menina. Às vezes covarde, medrosa, triste e cansada. Então às vezes eu finjo que não estou triste, pra que ela não veja. Às vezes eu olho pra ela e ela me olha, e eu sei que ela está buscando em mim algo pra ela ser. Eu sei que é do ser humano ficar triste de vez em quando, mas ela ainda é tão miudinha. O máximo de tristeza que por enquanto eu suporto ver nela é quando está na hora do banho e ela ainda quer brincar “só um pouquinho”. Ou quando ela me pede o “bubu” e eu não dou. 

Ela me ama e me acha bonita. Ela mexe nos meus cabelos, ela mexe nos meus dentes e ri. Ela vê o aparelho em meus dentes e quer mexer. E eu não tenho nenhuma vergonha de mostrar pra ela meus dentes tortos, e os espaços deixados pelos dentes que precisei tirar. Ela acha tudo bonito, e sorri com aquele olhar. E eu sei que ela quer se espelhar em mim. E sei o quanto preciso melhorar pra servir de espelho pra ela. E tenho tentado superar meus medos, e ser boa, e ser forte, e ser altiva. Ensinar não é fácil. Mas é o que eu faço. Não que eu faça bem, mas eu faço. Eu faço isso todos os dias. Eu tenho certeza que podia fazer muito melhor. E isso às vezes me deixa triste. Mas é o que tem pra hoje, meu amor. Não haverá mãe perfeita pra você. 

Mas haverá uma mãe que quer, todo santo dia, ser melhor. Sossegar. Te ensinar a calma. A ver a vida de uma forma positiva. A pensar que tudo bem se algo não saiu como o planejado, porque o mundo não nos deve nada e a gente sempre pode tentar de novo. A gente tem aquilo pelo que a gente batalha. E se a gente já tem saúde, família, amigos, amor, nossa casa, a gente já tem tudo. O que vem além disso é merecimento, é espelho do que nós somos pro mundo. E eu quero que você tenha serenidade e equilíbrio em seu coração pra ver o que tem que ser visto e oferecer somente o que você tiver de melhor. Eu quero que você seja boa, pra que o mundo seja bom com você. Essa é a minha tarefa. 

Advertisements

One response to this post.

  1. Posted by Rosangela on 5 de Abril de 2017 at 15:59

    Lindo texto.. Leio todos, tb tenho uma filha dois aninhos Valentina, tudo q vc escreve e exatamente o que penso..

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: