Cada um com seus problemas

– Oi!

– …

– Tá sempre por aqui?

– Jura que vai atacar com essa cantada?

– Não, é sério, é que acho que não é a primeira vez que te vejo.

– Nunca estive nesse bar.

– Então deve ter sido em outro bar, mas tenho certeza de que já te vi. Ou talvez a gente tenha sido colega de escola… você não estudou no Instituto da Infância Alegre?

– Não.

– Então é da academia… Malha na Perfect Body Fitness?

– Não.

– Trabalha na Rua do Ornitorrinco? Toma café na Pão Quentinho? Faz compras no Barato Diário?

– Não, não e não.

– Não pode ser. Nunca esqueço um rosto quando o vejo uma vez.

– Olha, me desculpe, mas a gente não se conh…

– Claro! Lembrei! Já sei de onde te conheço!

– Lá vem. A resposta é não…

– Você estava presa no mesmo engarrafamento que eu ontem! Na Avenida Grand Ville! à altura da Pão Quentinho!

– Antes ou depois do semáforo??

– Antes, mas você conseguiu passar no sinal amarelo, um babaca me fechou e eu fiquei.

– Era meu noivo, ele estava me seguindo. Ele anda desconfiando de mim.

– Ele te segue? E você sabe? Ele sabe que você sabe?

– Eu finjo que não sei. Mas ele não disfarça. Vive no meu encalço.

– E onde ele está agora?

– Ficou lá fora. Não olhe agora, está de camisa preta com um número estampado atrás.

– Tô vendo uma camisa com número 24, mas é rosa. Brincadeira, estou vendo ele.

– Voilà.

– Isso está esquisito. Seu noivo lá fora te vigiando, você aqui sabe disso, está conversando com um estranho há uns 10 minutos e tudo bem?

– Ele veio arrumar pretexto pra me vigiar, estou dando!

– Então vem cá que eu te dou um pretexto melhor…

– Se triscar em mim leva!

– Qual é, você está a fim…

– Me solta! Detesto barba no meu pescoço! Não aperta minha cintura desse jeito senão eu grito… Não faz assim!!

– Tudo bem, tem razão, seu noivo parece meio chateado.

– Meu noivo…?

– Sim, está olhando em nossa direção, cara de pouquíssimos amigos.

– Ele não é violento…

– Mas isso não está certo, afinal eu já sei que você é noiva, eu não me envolvo com mulheres comprometidas. Foi um erro estar aqui até agora… me desculpe, é melhor eu ir.

– Eu é que dei muita trela, a culpa não é sua, fique tranquilo, ainda não acabou seu drink!

– Tudo bem, eu vou dirigir mesmo…

– Se você for vou me sentir culpada! Acho que fui meio rude!

– Imagina, eu é que fui inconveniente. Seu noivo é seu noivo.

– Eu não sei se ainda amo meu noivo!

– Diz isso pra ele.

– Você não entendeu! Estou me sentindo sufocada, perseguida, invadida! Quero uma emoção nova!

– Você é maluca, seu noivo também! Eu hein?!

– Vem cá! Senta aqui! Não vá embora!

E ele foi sem olhar pra trás.

Ela pagou a conta, saiu do bar, deu as mãos ao noivo, beijou-o calorosamente na boca. Os dois entraram no carro e foram pra casa fazer loucuras e dormir em paz.

4 responses to this post.

  1. Posted by aline on 29 de Setembro de 2009 at 20:38

    Vá entender a cabeça do ser humano. Seu blog está show!!!! como sempre, contraditória, irreverente, polêmica e questionadora. Parabéns!!!!
    beijos

    Responder

  2. Posted by Mas.... on 30 de Setembro de 2009 at 0:52

    Senhora Nardele Gomes….. nao sei pq mas acho que vou me tornar uma fa desse seu blog’!!!!!!!…manda o link de fabio hernandes!!! ….plissssssssssssss

    “te quiero amiga”!!!!…. 😀

    Responder

  3. Posted by nardele on 1 de Outubro de 2009 at 17:50

    Castelo!! Adorei sua visita! Aliás, vi suas fotos e morri de inveja. Apareça sempre!!!

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: